Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar

Olá Bruxonas e Bruxões, hoje é Post Pipoca e vamos falar do filme que lançou essa semana: Piratas do Caribe – A Vingança de Salazar.

Nesse filme temos o retorno da trama de Piratas do Caribe e o Baú da Morte, tanto que o filme  começa com o Henry Turner (interpretado por Brenton Thwaites), filho de Will e Elizabeth.

Ainda criança ele acredita que encontrou uma forma de quebrar a maldição que aprisiona o pai ao Navio Holandês Voador, e sua melhor chance de conseguir isso é com a ajuda de Jack Sparrow. O Jovem Henry passa anos procurando pelo pirata sem sucesso até que… Depois do que pareceu ser uma chamada do filme nos é apresentando a personagem de Carina Smith (interpretada por Kaya Scodelario), uma garota estudiosa que é acusada de bruxaria e condenada à forca por saber astronomia e horologia (pensa numa época difícil pra ser mulher). A garota tem aquela vivacidade que a personagem Elizabeth tinha no primeiro filme da franquia, o que eu adorei, o típico de romance, primeiro mostra a mocinha, depois o mocinho e depois os dois juntos.

E então introduzimos o Jack Sparrow à trama. O que ele faz exatamente?! “Bebe rum e foge de alguém que quer matá-lo”.

Infelizmente eu assisti o filme dublado e, como foi anunciado, não foi o mesmo dublador dos outros filmes, parecia o mesmo dublador do Charlie da série Two and a Half Men, em alguns momentos eu quase esperava que ele fosse gritar “Alan!” e as piadas dele também não fizeram muito sentido. Não gostei da tradução e considero uma falta de respeito com os fãs da franquia aqui do Brasil pois prejudicou muito a qualidade do filme, ao ponto de eu querer assistir novamente, só que legendado.

O trailer do filme nos da a entender que um novo inimigo, ainda mais poderoso que o Capitão Salazar, está atrás de Jack Sparrow. Mas o filme é bem mais que isso. Mesmo o trailer não nos dando a menor ideia da importância de Carina na trama, é inegável que ela é a chave central da história toda.

O vilão?

Capitão Salazar é interpretado por Javier Bardem, ou como eu gosto de chamar: pai do Dean. Os efeitos especiais foram tão fantásticos que eu acredito que eles criaram uma nova roupagem para fantasma. Sim, Salazar é um fantasma, uma pessoa que morreu com um assunto inacabado. A questão desse personagem é que eu não vejo ele como vilão, então quando você assistir o filme talvez você sinta um leve pesar com o seu final.

O Filme

A fotografia do filme foi espetacular, tiveram um cuidado de criar cenários enormes, há uma imensidão nesse filme. E os ângulos, colocavam o telespectador na cena. Era como se eu estivesse sentada em cima da câmera, era assim que eu me sentia, próxima o suficiente para sentir a adrenalina, a tensão, a emoção.

O enredo da história falhou um pouco na introdução dos personagens a trama, alguns deles entraram de forma levianamente intuitiva e sem muita explicação, o que eu espero ser apenas uma confirmação de que nos próximos filmes eles serão melhor trabalhados, o final do filme foi digno de Walt Disney, não poderia ter sido melhor, e até parece o fim da franquia, isso ate a cena pós créditos, que me deixou com uma especulação de que vai ter mais filmes por ai eeeeee com o elenco original.

E esse foi o post pipoca, espero que tenham gostado. Deixem aquele comentário sobre o que você achou, vou amar saber sua opinião.

Bjs de luz!



Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: