Intrínseca | Livros | Post Pipoca

Orgulho e Preconceito e Zumbis

27 de Abril de 2016

Olá Jujubas e Amendoins!

Esse mês eu acabei negligenciando um pouco o blog e dei mais atenção ao Instagram, mas tem um motivo, a mãezinha do meu marido estava doentinha e eu precisei fazer varias visitas ao hospital e depois a casa dela, mas agora ela ta bem, graças a Deus. E não pensem que eu gosto mais do Instagram do que do blog, é que eu já tinha as fotos prontas para postar lá =) Então vai ter triplo post no blog pra compensar!!!!

E pra chegar atrasada é melhor que seja com novidades não é mesmo hehehe. Vamos ao primeiro post Pipoca yeeeeeehp!!! Você não sabe o que é isso?  Bom, agora aqui no blog vai ter um post sobre filmes e series inspirados de livros, acho que expliquei bem ein.

No começo do mês eu assisti Orgulho e Preconceito e Zumbis (O.P.Z) filme inspirado em um livro do mesmo nome, que por sua vez foi inspirado no clássico de Jane Austen (Ídola) Orgulho e Preconceito (O.P)

Orgulho e Preconceito e Zumbis

O livro O.P.Z (publicado pela editora Intrínseca) escrito pelo autor, diretor e produtor de cinema Seth Grahame-Smith, foi bem fiel a versão original do livro de Jane Austen, com o detalhe de ter zumbis.

Mesmo com essa ousada façanha, Seth Grahame-Smith ainda assim respeita a ordem dos fatos, preserva a personalidade dos personagens e o clichê do final feliz que Jane Austen sempre nos contempla em seus livros. Para quem não sabe a vida de Jane Austen está intimamente ligada as suas obras, estudiosos e historiadores, correlacionam fatos de sua vida a fatos escritos em suas obras. Jane Austen não teve um final tão feliz como em seus livros, mas ela se certificou de que em suas paginas, suas heroínas iriam sempre vencer e alcançar a felicidade depois de um breve momento de luta. Então quando eu soube que O.P tinha sido rescrito e adicionado Zumbis eu sabia que precisava ler  e já fantasiava Lizzy empunhando uma espada e sendo porradeira contra Zumbis hehehe

orgulho_e_preconceito

O filme O.P de 2005 foi bem fiel ao livro, o personagem de Darcy foi representado pelo ator Matthew MacFadyen que popularizou com a atriz Keira Knightley no papel de Lizzy e se tornou de opinião comum dos fãs de O.P aplaudir essa versão cinematográfica do livro e a escolha dos atores principais. Você sente a tensão entre eles, quase acredita que não ficarão juntos por orgulho e seus preconceitos. Nunca vou esquecer como me senti quando Darcy se declara a Lizzy =} s2 S2 s2

O que eu senti assistindo a 10 primeiros minutos do Filme Orgulho e Preconceito e Zumbis foi uma banalização de tudo o que Jane Austen construiu, toda a elegância e complacência que se espera de um filme com o personagens britânicos me pareceu esquecidos.

Nunca Jane Austen iria fazer alusão a personagens em cenas sensuais e eróticas, essa necessidade de apelar é contemporâneo e desnecessária e um desrespeito ao significado da obra de Jane Austen. Ela escreveu em um tempo onde as mulheres não podiam pensar em voz alta ou querer palpitar seu futuro. Onde suas maiores ambições para a vida era o matrimonio e se dedicar ao lar e ter filhos, ela própria sofreu o preconceito da época ao querer ser escritora e hoje com esse filme novo temos a super valorização do corpo feminino erotizado, esqueceu totalmente a intensão de Jane Austen de colocar a mulher num patamar que ela seja reconhecida pelo que pensa e suas convicções.

Pride and Prejudice and Zombies

Eu imaginei Lizzy e suas irmãs como lutadoras ferozes matando zumbis e não uma oportunidade de mostrar garotas em poses sensuais, insinuando seus corpos e portando armas sem qualquer maestria.

“Os peitos parecem que vão saltar para fora dos vestidos enquanto lutam.” – a frase que mais falei durante o filme.

Foi dificil levar a personagens Lizzy, interpretada pela atriz LiLy James a serio, alem dos peitos saltantes e nenhum atrativo porradeiro nela, terminei recentemente uma serie chamada Downton Abbey na qual ela faz a personagem Rose, uma mulher que não dá para levar a serio pelo seu jeito lascivo e leviano o que só reforça o porque dela ter sido escalada para o papel de Lizzy nesse filme. Para se adentrar em mais um personagem principal temos o Darcy interpretado por Sam Rily usando um casaco de COURO, eu só conseguia pensar em: Van Helsing Emo.

Outra personagem que me chamou atenção no filme e eu depositei minhas fichas que ela seria a salvação foi Lady Catherine de Bourgh. No livro como no filme ela é uma mulher de idade avançada de uma grande fortuna e prestigio, tia de Darcy, que planeja que o Sobrinho se case com sua filha fragilizada. Mas em O.P.Z ela é interpretada por Lena Headey, a Cersei de Game of Thrones e se você só acompanha a serie da HBO e acha que a Cersei é uma bovina então é você que não sabe de nada e não o Jon Snow, mas eu não vou falar dela como Cersei (rainha poderosíssima) mas como a Lady Catherine de Bourgh, o visual dela foi ousado e fatal, tinha até um tapa olho, esperei que houvesse uma grande luta ou até mesmo ela em um combate épico afinal ela sim é porradeira, mas a decepção estava incrustada nesse filme e eles só conseguiram me decepcionar mais com cenas mixurucas para uma atriz incrível como Lena.

O que posso dizer, o filme O.P.Z não me agradou, mas eu recomendo o livro, leia o Clássico de Jane Austen e depois a versão de Seth Grahame-Smit é divertido comparar.

Deixe um comentário =)

bjs de luz

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Only registered users can comment.

Deixe uma resposta