Aventuras de Alice no Subterrâneo

Este livro é uma recriação em português do manuscrito feito por Charles Lutwidge Dodgson para a garota Alice Liddell. O reverendo anglicano Dodgson tinha na época trinta anos e era professor do Christ College, em Oxford. No verão de 1862, ele fez uma serie de excursões de barco pelo rio Tamisa, em companhia de seu colega, o reverendo Duckworth, e de três meninas, de 13, 10 e 8 anos, filhas do reitor. Durante um desses passeios, ele criou a historia narrada neste livro, para divertir as três irmãs, Lorina, Alice e Edith Liddell. A historia agradou particularmente a Alice, a irmã do meio, por ser ela homônima da personagem, uma menina tão viva e curiosa como ela mesma. Nas aventuras do subterrâneo temos toda a espontaneidade do contador de historias que cria de improviso.

PicsArt_12-11-09.16.03

Depois de muito pedir a Dodgson , ele finalmente atendeu ao pedido de Alice e passou a historia contada para o papel. Com ilustrações desenhadas por ele mesmo e uma dedicatória de arabesco de flores: “Um presente de Natal para uma criança querida em memória de um dia de verão” Foram sete meses para a elaboração do livrinho e mais sete meses no preparo das ilustrações antes de entrega-lo a Alice.

PicsArt_12-12-12.26.14
Arabesco de floeres e dedicatória para Alice Liddell: “Um presente de Natal para uma criança querida em memoria de um dia de verão”

Vinte e dois anos depois de presentear Alice com o manuscrito, Carroll pediu-o emprestado à agora casada senhora Alice Hargreaves, para que fosse  feita uma edição fac-similar. O Manuscrito foi a base para o texto de Aventuras de Alice no País das Maravilhas, muito elogiado por amigos de Dodgson, que começou a cogitar publica-lo ai. Para a versão definitiva, publicada em 1865, adotou o pseudônimo Lewis Carroll, com o qual se tornou conhecido e admirado muito rapidamente, pois o livro teve sucesso imediato.

PicsArt_12-12-12.24.50
As ilustrações foram feitas pelo próprio Lewis Carroll

Ela o guardou por muitos anos, até os 75 anos, quando o vendeu em um leilão, pois, tendo ficado viúva, necessitava obter recursos financeiros para se manter.

PicsArt_12-12-12.23.19
Com folhas amarelas e  letra cursiva, é como estar com o livro que a Alice recebeu

Comparando os textos do manuscrito e de Alice no País das Maravilhas, Carroll acrescentou muito material, passando de dez para doze capítulos e de 12.715 para 26.211 palavras. O chá da Lebre de Março e do Chapeleiro Louco, a cena na casa da duquesa e o diálogo com o Gato Cheshire, o poema em forma de cauda de rato já existia no manuscrito, mas com versos diferentes.  A maior parte do texto original foi mantida, palavra por palavra. Até que ponto esse texto corresponde fielmente ás historias contadas no barco, nunca saberemos.

Fonte: encarte integrado do livro Aventuras de Alice no subterrâneo. texto de Myriam Ávila

Editora: SCIPIONE
Coleção: Avulso
Segmento: Literatura juvenil
Ano Escolar: 6º ao 7º anos
ISBN: 9788526282162
Edição: 1
Altura: 19.7 cm
Largura: 13.7 cm
Peso: 0.24 kg
N° de Páginas: 96
Temas: comportamento, amizade, aventura, fantasia, linguagem

 

6 Comment

  1. Lilly says: Responder

    Ao ler livros assim, com tanta criatividade que deixa o leitor entretido no enredo, é fácil se apaixonar por leitura. Depois de tantos anos ainda me divirto com as aventuras de Alice é simplesmente maravilhosa a história.

  2. Fiz uma resenha linda desse livro, legal que vc tenha lido !!!

  3. Ana Gonzaga says: Responder

    Preciso do capítulo 3! Tem como me ajudar??

    1. Olá Ana, como eu poderia te ajudar?

  4. Analu says: Responder

    Preciso urgente do resumo desse livro. Alguém pode me falar?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: